Georges Brassens Baixar Músicas

Georges Brassens

World Music

584 views
Compartilhe Agora:

foto de Georges Brassens

Georges Brassens nasceu a 22 de Outubro de 1921 em Sète, porto de pesca francês banhado pelo mar mediterrâneo, filho de Elvira Dagrossa e do seu segundo marido Jean-Louis Brassens. A mãe é de origem italiana e profundamente católica, enquanto o pai é um livre pensador anti-clerical. Todavia esta família, que inclui um quarto membro, a meia-irmã Simone, filha do primeiro casamento da mãe de Brassens, tem um ponto em comum : todos apreciam a música e todos têm de memória numerosas canções que adoram entoar, seja Tino Rossi, Charles Trenet ou tantos outros artistas populares da época. Educado neste meio, Brassens interessa-se naturalmente pela música, mas também pela composição. Apesar de ser um fraco aluno, consegue ser motivado pelo seu professor de literatura Alphonse Bonnafé. Este, ao ver alguns pequenos poemas do jovem Brassens(na altura com 15 anos), e apesar de os achar ainda de fraca qualidade, incentiva-o a estudar os clássicos e assim poder melhorar a qualidade do seu trabalho. Há uma característica que Brassens revela desde novo: aprecia funcionar em grupo e gosta de estar envolvido com os amigos. O seu primeiro grupo desta época começa por fazer pequenos disturbios pela vila para mais tarde ter um convivio de tipo diferente: passeiam-se pela praia e pelos bares da vila, discutem a canção e os filmes, organizam projecções de cinema privadas, e chegam mesmo a formar uma pequena orquestra em que Brassens toca banjo. Mas este grupo seguiria caminhos menos ortodoxos: procurando realizar algum dinheiro de bolso para as suas actividades lúdicas, realiza pequenos furtos essencialmente aos seus próprios familiares e amigos. Após várias queixas dos visados a polícia descobre-os e leva-os a julgamento. Brassens fica detido juntamente com os seus amigos e na pequena vila de Sète é o escândalo e a vergonha para as famílias envolvidas. O grupo passa a ser mal visto e é ostensivamente rechaçado dos locais que frequentava Incentivado pelos amigos e conhecidos começa em 1951 a actuar nalguns cabarés parisienses, mas sem qualquer sucesso. A sua presença em palco é muito apagada, ninguém se interessa pelos seus textos, e Brassens começa a desanimar. Todavia em 1952 dois dos seus amigos de infância conseguem-lhe uma audição num dos cabarés mais em voga na época, o Chez Patachou dirigido pela cantora Henriette Ragon(apelidada de Patachou pelos jornalistas franceses, a propósito do nome do seu cabaré). Muito a custo Brassens lá vai à audição a 6 de Março sendo apreciado de imediato por Patachou que lhe proporciona uma actuação logo na noite do dia seguinte. Nessa actuação a cantora confirmou a sua primeira apreciação, tendo-o contratado de imediato. Mas Brassens prefere que seja mesmo Patachou a cantar as suas canções remetendo-se ao papel de autor-compositor em que se sente mais à-vontade, evitando o contacto com os palcos e o público. Esta, apesar de aceitar incluir algumas das suas canções no seu reportório, insiste em que ele é a pessoa ideal para cantar canções como Le Gorille, Corne d'Aurochs ou La Mauvaise réputation. Apesar de todas estas hesitações e inseguranças, o caminho para o sucesso está aberto. Dezoito meses depois Brassens já é cabeça de cartaz no Bobino. Patachou apresenta-o a Jacques Canetti, (irmão de Elias Canetti, o prémio Nobel da literatura de 1981), ligado à editora de discos Polydor, e um dos homens mais influentes no meio musical francês. Não só Brassens actua no seu cabaré Les Trois Baudets, como grava alguns 78 rpm que viriam a ser publicados entretanto, apesar das dificuldades com as letras de algumas canções demasiado provocatórias para a sociedade da época. Estas reacções negativas de alguns acompanha-lo-iam ao longo de toda a sua carreira, mas nunca o fariam recuar na denúncia do que ele considerava serem os podres da sociedade. Em 1980, muito doente, grava as suas últimas canções no album Les chansons de la jeunesse a favor da associação de beneficência Perce Neige, criada por Lino Ventura, a favor das crianças deficientes. Nesse album Brassens canta velhas canções francesas de Charles Trenet, Jean Boyer, Paul Misraki e dele próprio. Em Novembro após um diagnóstico de cancro do intestino é novamente operado. Recusa a quimioterapia, vindo a falecer quase um ano depois, em 29 de Outubro de 1981, uma semana após completar 60 anos de idade, na pequena aldeia de Saint-Gely-du-Fesc, perto da sua terra natal de Sète, em casa do seu amigo e médico, Maurice Bousquet. Está sepultado no cemitério du Py, também chamado o "cemitério dos pobres". Discografia Georges Brassens vendeu cerca de 20 milhões de albuns entre 1953 e 1981, o que constitui um recorde para quem começou a publicar música nos anos 50 e que já tinha um estilo claramente (e voluntariamente) fora de moda nos anos 70. 1953 : La Mauvaise Réputation 1954 : Les Amoureux des bancs publics 1955 : Chanson pour l'Auvergnat 1957 : Je me suis fait tout petit 1958 : Le Pornographe 1960 : Le Mécréant 1961 : Les Trompettes de la renommée 1964 : Les Copains d'abord 1964 : Bobino 64 (ao vivo) 1966 : Brassens au TNP (ao vivo) 1966 : Supplique pour être enterré à la plage de Sète 1969 : La Religieuse 1972 : Fernande 1972 : Tour de chant à Bobino (DVD) (Ao vivo) 1974 : Georges Brassens in Great-Britain(Ao vivo) 1976 : Don Juan Prêmios Prêmio da Académie Charles Cros pelo seu primeiro album ; Grande prêmio da poesia da Académie française em 1967. Grande prêmio da cidade de Paris em 1975. Fonte - http://pt.wikipedia.org/wiki/Georges_Brassens

Se você encontrou alguma informação errada ou poderia melhorar essa página sobre Georges Brassens fale agora mesmo com a gente!

Faltando alguma coisa aqui? Mande mais fotos de Georges Brassens para gente!

TODOAS AS MÚSICAS
  1. 117 views
  2. Auprès de mon arbre

    145 views
  3. Brave Margot

    61 views
  4. Carcassonne

    70 views
  5. Celui qui a mal tourné

    92 views
  6. Chansonnette à celle qui reste pucelle

    49 views
  7. Colombine

    206 views
  8. Concurrence déloyale

    84 views
  9. Cupidon s'en fout

    172 views
  10. Dans l'eau de la claire fontaine

    89 views
  11. Don Juan

    164 views
  12. Grand-père

    210 views
  13. Hécatombe

    84 views
  14. Histoire de faussaires

    142 views
  15. Il existe encore des bergères

    124 views
  16. Il n'y a pas d'amour heureux

    160 views
  17. Je me suis fait tout petit

    79 views
  18. Je suis un voyou

    189 views
  19. L'andropause

    234 views
  20. L'arc-en-ciel d'un quart d'heure

    49 views
  21. L'enterrement de Verlaine

    182 views
  22. L'inestimable sceau

    104 views
  23. La fessée

    107 views
  24. La Guerre de 14-18

    84 views
  25. La marguerite

    47 views
  26. La première fille

    168 views
  27. La prière

    77 views
  28. La romance de la pluie

    163 views
  29. La tondue

    55 views
  30. La traitresse

    97 views
  31. Le fidèle absolu

    76 views
  32. Le grand chêne

    189 views
  33. Le mauvais sujet repenti

    173 views
  34. Le mouton de Panurge

    147 views
  35. Le pince-fesses

    75 views
  36. Le progrès

    90 views
  37. Le Roi

    95 views
  38. Le temps passé

    42 views
  39. Le vieux fossile

    82 views
  40. Le vingt deux septembre

    98 views
  41. Les Amoureux Des Bancs Publics

    88 views
  42. Les deux oncles

    96 views
  43. Les funerailles d'antan

    172 views
  44. Les oiseaux de passage

    56 views
  45. Les Passantes

    84 views
  46. Les patriotes

    177 views
  47. Les sabots d'Hélène

    106 views
  48. Les voisins

    182 views
  49. Marinette

    71 views
  50. Marquise

    172 views
  51. Mélanie

    94 views
  52. Misogynie à part

    86 views
  53. Oncle Archibald

    194 views
  54. P... de toi

    182 views
  55. Pénélope

    95 views
  56. Pour me rendre à mon bureau

    213 views
  57. Quand les cons sont braves

    145 views
  58. Quand On Est Con

    90 views
  59. Quatre-vingt-quinze pour cent

    78 views
  60. Retouches à un roman d'amour de quatre sous

    182 views
  61. Rien à jeter

    94 views
  62. Sauf le respect que je vous dois

    117 views
  63. Trompe la mort

    97 views
  64. Vendetta

    41 views

Envie mais letras de Georges Brassens

>