Poison Baixar Músicas

Poison

Hard Rock

633 views
Compartilhe Agora:

foto de Poison

O Poison foi formado no ano de 1982, por Bret Michaels (vocal) e Rikki Rockett (bateria), inicialmente com o nome de Paris. Logo depois ingressou na banda Bobby Dall (baixo) e, um pouco mais tarde, em 1985, C.C. Deville (guitarra), substituindo o guitarrista anterior, Matt Smith. C.C. foi selecionado após passar por vários testes, tendo disputado a vaga com o então desconhecido Slash (Guns n´ Roses). Como grande parte das bandas de Glam Rock dos anos 80, o Poison iniciou suas atividades na famosa Sunset Strip, em Hollywood, tocando em clubes como The Rainbow, The Whisky a Go-Go e The Roxy, de onde saíram bandas como Hanoi Rocks (uma das pioneiras do estilo) e Warrant. O primeiro álbum do Poison foi lançado em 1986, chamado Look What Cat Dragged In. Na capa percebe-se claramente o estilo Glam: caras com maquiagem “pesada”, roupas coloridas e cabelos armados. As letras tratavam de temas como mulheres, carrões e bebida, tudo que o público da época mais queria ouvir. Este primeiro trabalho da banda trouxe hits que se tornaram verdadeiros clássicos do estilo, como "I Want Action", "Talk Dirty to Me" e a música que dá nome ao disco. Com o sucesso obtido, em 1987, o Poison conquistou disco de ouro, platina e platina-dupla com este álbum, saindo em turnê com Cinderella, Ratt e Quiet Riot, entre outras bandas. O segundo álbum veio em 1988, Open Up and Say... AHH!, trazendo muitas outras músicas que se tornariam clássicas e vendendo mais de 5 milhões de cópias. Curioso relatar que a capa original foi censurada, por trazer uma imagem considerada satânica (algo como uma mulher/monstro com a língua de fora). Uma nova capa foi então elaborada, deixando apenas uma parte do desenho à vista, mas, em muitos países, os discos foram vendidos com as duas opções de capa. Dando seqüência aos trabalhos, em 1990 saiu o terceiro trabalho da banda, Flesh & Blood. Novamente a capa foi censurada, desta vez por conter sangue embaixo do escrito Flesh & Blood, em forma de tatuagem. O sangue foi retirado e o álbum lançado. Com este trabalho iniciou-se a Flesh & Blood Tour, com apresentações em grandes festivais, incluindo participações com outras bandas de renome, como Aerosmith e Whitesnake. Dessa turnê resultou o quarto álbum do Poison, que veio em edição dupla ao vivo, chamado Swallon This Live. Incluiria ainda quatro músicas inéditas, como bonus tracks, merecendo destaque a canção “So Tell Me Why”. Rumores diziam que a banda estava se desfazendo, principalmente devido a brigas entre Bret e C.C (os dois chegaram inclusive às “vias de fato”). Mas o que houve não foi o fim da banda e sim a expulsão de C.C. que, além dos atritos com os demais membros, apresentava também problemas com bebida e drogas. Para seu lugar foi chamado Richie Kotzen , jovem guitarrista de 22 anos, com três álbuns-solo nas costas. Com esta nova formação, saiu em 1993 o quinto álbum da banda, Native Tongue. Desse disco a música "Stand" foi a que teve maior repercussão na mídia, tendo inclusive clipe veiculado na MTV. Apesar da queda no mercado fonográfico para bandas de Hard Rock (o grunge estava em alta), o Poison saiu em turnê, passando pelo Brasil em 1994, no festival denominado Hollywood Rock. Um sexto álbum foi feito, chamado Crack a Smile. Este não foi lançado na época, por problemas entre o Poison e a gravadora Capitol Records. Seria o disco que apresentaria o novo guitarrista da banda, Blues Saraceno , já que Richie havia sido expulso do grupo por problemas de namoros às escondidas com a ex-noiva do baterista Rikki. Foram feitas apenas 300 cópias demonstrativas que hoje se tornaram raras e valiosas. No final das contas, o que acabou saindo foi uma coletânea: Greatest Hits 1986-1996. Continha as principais músicas da carreira da banda e duas inéditas, retiradas do álbum até então não lançado: "Sexual Thing" e "Lay Your Body Down", com Blues Saraceno nas guitarras. A partir daí os integrantes partiram para outras atividades, tendo se destacado o vocalista da banda, Bret Michaels, por ser escritor, ator e diretor de filmes. Um deles, feito juntamente com o ator Charlie Sheen, A Letter From Death Row (Corredor da Morte), teve a trilha sonora composta por ele mesmo, com participações de membros do Poison. Mais tarde, com a formação original de volta, após uma turnê revivendo sucessos da banda, ao lado de Great White, L.A. Guns e Ratt, a Capitol Records finalmente lançou Crack a Smile.... and More! em 2000, incluindo neste álbum algumas versões acústicas inéditas, extraídas do especial “Unplugged”, gravado para a MTV em 1991. Ainda em 2000, saiu no mês de junho o novo disco, chamado Power To The People, disco ao vivo, que contém 5 músicas de estúdio, uma delas cantada por C.C. Deville. Definida a volta da banda com a formação original, em 2002 foi lançado o álbum Hollyweird, contendo somente músicas inéditas, estabelecendo um retorno às raízes dos anos 80. Com isso, uma grande turnê foi iniciada e a banda passou a lotar todas as casas de show por onde passou. Um DVD ainda foi comercializado, apresentando todos os clipes da carreira da banda. Nesse período, mais precisamente em 2003, o baterista Rikki Rocket e o vocalista Bret Michaels ainda encontraram tempo para dois lançamentos de álbuns-solo, Glitter 4 Your Soul (de covers) e Songs Of Life, respectivamente. Bret, em algumas outras oportunidades, passou a flertar com o country, chegando também a lançar um disco com algumas demos deste estilo musical. Em 2004, a banda anunciou uma turnê de 4 meses juntamente com o Kiss, a Rock The Nation Tour, que passou por diversas cidades dos Estados Unidos, no verão americano. Após esse período, as atividades da banda ficaram interrompidas, destacando-se apenas o trabalho de Bret Michaels, que se encontra em uma pequena turnê americana para promoção do seu novo disco, Freedom Of Sound, uma mistura de Rock e Country. Recentemente, foi divulgada uma lista das bandas com maiores vendagens da história dos E.U.A., sendo que dela constou o nome do Poison, com 13 milhões de cópias vendidas no país, conforme pesquisa realizada pela R.I.A.A. (Recording Industry Association of América).

Se você encontrou alguma informação errada ou poderia melhorar essa página sobre Poison fale agora mesmo com a gente!

Faltando alguma coisa aqui? Mande mais fotos de Poison para gente!

>