Edu Lobo Baixar Músicas

Edu Lobo

Bossa Nova

852 views
Compartilhe Agora:

foto de Edu Lobo

Eduardo de Góis Lobo, conhecido como Edu Lobo, (Rio de Janeiro, 29 de agosto de 1943), é um cantor, compositor, arranjador e instrumentista brasileiro. Filho do compositor Fernando Lobo, foi criado no Rio de Janeiro e na casa dos tios, em Recife, PE, onde passava as férias escolares. Seu primeiro instrumento foi o acordeon, que estudou dos oito aos 14 anos. Fez os cursos ginasial e colegial no Colégio Santo Inácio, e por essa época já tentava algumas composições. Na PUC cursou Direito até o terceiro ano. Com 16 anos começou a se interessar pelo violão, iniciando-se com um amigo de infância, o compositor Theo de Barros, e estudando teoria musical, mais tarde, com Wilma Graça. Por volta de 1961, passou a frequentar shows, principalmente no Beco das Garrafas, em Copacabana, onde assistia a espetáculos dos representantes da nova geração musical, entre os quais João Gilberto, Sergio Mendes, e Luis Eça (do Tamba Trio). No ano ano de 1961, conheceu o poeta Vinicius de Moraes que fez a letra para Só me fez bem, gravada em 1967 no LP Edu-Betânia, da Elenco. Nessa época, com Dori Caymmi e Marcos Valle formou um conjunto que chegou a atuar em programas de TV e em shows. Seu pai incentivou-o a gravar o seu primeiro disco, um compacto duplo com quatro músicas de sua autoria, bem dentro do estilo intimista característico da bossa nova, cuja contracapa foi escrita por Vinicius, seu novo e importante parceiro. Logo ampliou seu trabalho com temas e motives da cultura popular, graças à influência de Sergio Ricardo, João do Vale, Carlos Lyra e principalmente Rui Guerra, seu parceiro em Canção da terra, Reza e Aleluia, canções representativas dessa nova fase de criação, marcada por seu conteúdo social. Começando a compor para teatro, escreveu em 1963 as músicas para a peça Os Azeredos mais os Benevides, de Oduvaldo Viana Filho. Entre elas a canção Chegança (com letra de Oduvaldo Viana Filho) alcançou grande sucesso. Outro êxito Borandá (letra e música de Edu), foi incluído na peça teatral Opinião, musical de protesto estreado no Rio de Janeiro em 1964. Ainda nesse ano, escreveu músicas para O Berço do Herói, peça teatral de Dias Gomes, e foi convidado por Gianfranceso Guarnieri para participar da realização de um musical cuja idéia nascera da canção Zambi, (com Vinicius de Moraes). Em maio de 1965 estreou no Teatro de Arena, em São Paulo SP, Arena conta Zumbi, de Gianfrancesco Guarnieri e Augusto Boal, musicada por ele. Entre as canções do espetáculo, Upa Neguinho, com Guarnieri tornou-se mais tarde um grande sucesso, cantado por Elis Regina. Em abril desse ano, inscreveu-se no I FMPB, da TV Excelsior de São Paulo, com duas músicas, Aleluia (com Rui Guerra) e Arrastão (com Vinicius de Moraes), ambas já gravadas em LP da Elenco, cuja distribuição foi adiada para que ficassem inéditas até o festival. Interpretada por Elis Regina, Arrastão foi a vencedora, projetando nacionalmente o compositor, já definido como um dos mais importantes da geração posterior ao surgimento da bossa-nova. Ainda em 1965, apresentou-se ao lado de Nara Leão, do Tamba Trio e do Quinteto Villa-Lobos na boate carioca Zum-Zum, em show dirigido por Aloysio de Oliveira. Contratado pela TV Record de São Paulo, passou a atuar semanalmente em porogramas dessa emissora em 1966 participou novamente de festivais: no II FMPB apresentou Jogo de Roda (com Rui Guerra) e no L FIC, da TV Globo, Rio de Janeiro, concorreu com Canto Triste (com Vinicius de Moraes), interpretada por Elis Regina e classificada entre as finalistas. Nesse ano, excursionou pela Europa com outros artistas, entre os quais Sylvia Telles e o Salvador Trio, tendo o grupo gravado um disco então na República Federal da Alemanha. No Brasil, em 1967, depois de quatro meses em Paris, onde fez um filme para a televisão e compôs a trilha do filme Valmy, de Jean Chérasse, voltou a participar de festivais, no Brasil, saindo vencedor do III FMPB com Ponteio (com Capinan), interpretada por ele e Marília Medalha. No ano seguinte, saiu o seu terceiro LP pela Philips, destacando o frevo canção No cordão da saideira. Em seguida, compos algumas canções para a peça teatral Marta Saré, de Gianfrancesco Guarnieri que estreou em 1969, no Teatro João Caetano, No Rio de Janeiro. No início de 1969, participou do MIDEM, em Cannes, França. De volta ao Brasil, depois de uma passagem por Nova York e por Los Angeles, E.U.A., em abril do mesmo ano casou-se com Vanda Sá e, partindo em seguida para Los Angeles, onde residiu por dois anos. Aí se dedicou ao estudo sistemático da música, fazendo cursos de orquestracão com Albert Harris e de música para cinema, com Lalo Schiffrin. Nesse período, excursionou pelo Japão, com Sergio Mendes, que também produziu o LP Lobo, gravado em 1971 em Los Angeles e lançado pela A&M Records. Gravou ainda com Paul Desmond, saxofonista do Dave Brubeck Quartet, o LP From the hot afternoon, com composições suas e de Milton Nascimento. Dentre os discos feitos nos E.U.A., apenas o LP Cantiga de Longe foi editado no Brasil, trazendo a participação de Hermeto Paschoal, Airto Moreira, Claudio Slon e Vanda Sá, que reapareceu como intérprete na canção Agua Verde (de sua autoria). De volta ao Brasil, em 1971, trabalhou pricipalmente como orquestrador e compositor de trilhas musicais. Criou a trilha sonora do filme de Miguel Borges O Barão Otelo no barato dos bilhões, de Miguel Borges. Compôs e realizou orquestracões para a peça teatral Woyzec, Georg Büchner. Fez orquestracões e arranjos para um disco de Marília Medalha e Vinicius de Moraes, e em 1973 lançou o LP Edu Lobo (EMI) com músicas inéditas, inclusive uma missa. Ainda em 1973 trabalhou nas orquestrações das músicas de Calabar, ou O elogio da traição, peca teatral de Chico Buarque e Rui Guerra, algumas das quais foram lançadas em 1974 no LP Chico canta. Em 1974 e 1975 atuou como orquestrador contratatdo da TV Globo, tendo sido responsável pela trilha musical de 12 programas da série Casos Especiais. Em 1975 compôs, com Vinicius de Moraes, a trilha Sonora do musical Deus lhe Pague, de Joracy Camargo, com adaptação de Millôr Fernandes e lançou em seguida o LP das canções dessa peça pela EMI, com produção de Aloysio de Oliveira. No ano seguinte, pela Continental, lançou o LP Limite das águas. Em 1977 fez tourné por toda a Alemanha promovendo Limite das Águas, lançado no exterior pela gravadora MPS. Um ano depois gravou o LP Camaleão, lançado no Brasil e no Japão, onde, pela primeira vez, interpretou, com letra de Ferreira Gullar, O Trenzinho do Caipira de Heitor Villa-Lobos (adaptado e orquestrado por ele e por Dori Caymmi). Em 1979 compôs a trilha sonora do filme Barra Pesada de Reginaldo Farias, ganhando prêmio no Festival de Gramado RS. Em 1980, após lançar o LP Tempo Presente, pela Polygram, escreveu e compos o balé Jogos de Dança para o teatro Guaíra de Curitiba PR, lançado em disco no ano seguinte pela Som Livre. Em 1981, em parceria com Tom Jobim lançou o LP Edu&Tom, Tom&Edu produzido por Aloysio de Oliveira. Em 1983, em parceria com Chico Buarque, compôs trilha sonora para o balé O Grande Circo Místico, adaptação de Naum Alves de Souza do poema homônimo de Jorge de Lima e que daria origem aum LP lançado pela Som Livre com a participacão de Gal Costa, Tom Jobim, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Tim Maia e Zizi Possi, entre outros. As orquestrações foram feitas, com a colaboração do autor, pelo maestro Chico De Moraes. A parceria com Chico Buarque se repetiria com O Corsário do Rei, de Augusto Boal, de 1985 e Dança da Meia-Lua, com roteiro de Chico Buarque e Ferreira Gullar, ambos lançados em disco pela Som Livre. Em 1984 escreveu a trilha sonora do filme O Cavalinho Azul, de Eduardo Escorel e Imagens do Inconsciente, de Leon Hirszman. Compôs em 1990 a trilha sonora do programa infantil Rá-Tim-Bum, da TV Cultura de São Paulo, lançado posteriormente em CD pela Eldorado. Este disco ganhou dois prêmios Sharp. Em 1992 voltou a apresentar espetáculos, obtendo grande repercussão, o que o levou a gravar um novo disco de intérprete: Corrupião, lançado em CD pela gravadora Velas. Em 1994 recebeu o Prêmio Shell de melhor compositor de música brasileira, pelo conjunto da obra. Lançou em 1995 o CD Meia-Noite, com cordas orquestradas por Cristóvão Bastos, que traz um chôro instrumental em homenagem a Tom Jobim: Perambulando. O disco recebeu o prêmio Sharp como melhor disco de música popular brasileira. Neste ano, foi lançado o CD Songbook Edu Lobo (duplo), bem como o Songbook, livro de partituras manuscritas pelo próprio Edu, ambos pela editora e gravadora Lumiar, de Almir Chediak. Em 1997 compôs a trilha sonora para o filme Guerra de Canudos, de Sergio Resende, cuja canção-tema tinha letra de Cacaso. Neste mesmo ano ano lança pela gravadora BMG o CD Album de Teatro, com canções em parceria com Chico Buarque. Dedica-se ao estudo de programas de música no computador e começa a preparar um novo Songbook, bem mais completo, com aproximadamente 120 músicas, projeto ainda a ser concluído. Em 2001 retoma a parceria com Chico Buarque, compondo as canções da peça teatral Cambaio, de João Falcão e Adriana Falcão. Em seguida produz o CD homônimo, para a gravadora BMG com a participação de Zizi Possi e Gal Costa dividindo a interpretação das canções com Chico Buarque, com orquestrações de Chico de Moraes. Este disco viria a receber, em 2002 o Grammy Latino de melhor CD de música brasileira. Ainda em 2001 compôs a trilha sonora, com orquestrações de Nelson Ayres do filme "O Xangô de Baker Street", de Miguel Faria, baseado em livro de Jô Soares. Em seguida viaja para Israel e participa com Nelson Ayres e Jane Duboc de um concerto de música brasileira, (Sounds of Brazil) com a Orquestra Filarmônica de Israel, no dia 15 de maio de 2001 no Frederic R. Mann Auditorium, em Tel-Aviv.

Se você encontrou alguma informação errada ou poderia melhorar essa página sobre Edu Lobo fale agora mesmo com a gente!

Faltando alguma coisa aqui? Mande mais fotos de Edu Lobo para gente!

TODOAS AS MÚSICAS
  1. A Família

    112 views
  2. A História de Lily Braun

    129 views
  3. A Lenda Do Abaeté

    196 views
  4. A Moça do Sonho

    77 views
  5. A mulher de cada porto

    154 views
  6. Abandono

    167 views
  7. Ai Quem Me Dera

    142 views
  8. Aleluia

    198 views
  9. Angu de Caroço

    134 views
  10. Antonio Conselheiro (a Guerra de Canudos)

    196 views
  11. As Mesmas Histórias

    142 views
  12. Ave rara

    207 views
  13. Bandeira do Brasil

    80 views
  14. Bate-boca

    278 views
  15. Beatriz

    209 views
  16. Branca Dias

    138 views
  17. Cambaio

    202 views
  18. Canção da Terra

    60 views
  19. Canção do Amanhecer

    183 views
  20. Cantiga de Longe

    119 views
  21. Canto Triste

    151 views
  22. Canudos

    215 views
  23. Cara-de-pau

    72 views
  24. Chegança

    132 views
  25. Chorinho de Magoa

    119 views
  26. Ciclo Sem Fim

    40 views
  27. Ciclo sem fim (Rei Leão)

    50 views
  28. Ciranda Da Bailarina

    125 views
  29. Considerando

    120 views
  30. Coração Noturno

    68 views
  31. Correnteza

    193 views
  32. Corrida de jangada

    71 views
  33. Corsário do Rei

    280 views
  34. Decididamente

    67 views
  35. Descompassado

    152 views
  36. Discussão

    144 views
  37. Dos navegantes

    165 views
  38. Em Tempos de Adeus

    186 views
  39. Embolada Das Dadivas da Natureza

    99 views
  40. Eu Agradeço

    153 views
  41. Feira de Santarem

    192 views
  42. Frevo de Itamaracá

    135 views
  43. Frevo Diabo

    146 views
  44. Historia de Lily Braun (a)

    104 views
  45. Jogo de Roda

    165 views
  46. Lábia

    72 views
  47. Labirinto

    108 views
  48. Lero Lero

    169 views
  49. Luíza

    126 views
  50. Mariana, Mariana

    147 views
  51. Marta e Romão

    127 views
  52. Meia Noite

    123 views
  53. Meio-Dia, Meia-Lua (Na ilha de Lia, no barco de Rosa)

    132 views
  54. Meus Pensamentos de Magoa

    43 views
  55. Moto-contínuo

    185 views
  56. Na Carreira

    147 views
  57. Na Ilha de Lia, No Barco de Rosa [meio-dia, Meia-lua]

    69 views
  58. Negro, Negro

    115 views
  59. Noite de Verão

    196 views
  60. O Açoite Bateu

    49 views
  61. O Circo Mistico

    101 views
  62. O Sertão

    142 views
  63. O Tempo e o Rio

    139 views
  64. Opereta do Casamento

    31 views
  65. Opereta do Moribundo

    129 views
  66. Porto do Sol

    59 views
  67. Preguiçosa

    131 views
  68. Quase Sempre

    142 views
  69. Repente

    57 views
  70. Requiem Por Um Amor

    187 views
  71. Salabim

    140 views
  72. Salabin

    124 views
  73. Sanha na Mandinga

    132 views
  74. Sexy Silvia

    140 views
  75. Sol e Chuva

    187 views
  76. Tá Difícil

    150 views
  77. Tango de Nancy

    132 views
  78. Toada

    227 views
  79. Tororó

    105 views
  80. Valeiro

    154 views
  81. Veleiro

    198 views
  82. Viola Fora de Moda

    170 views
  83. Zambi

    186 views
  84. Zanga Zangada

    122 views

Envie mais letras de Edu Lobo

>