Técnicas de palhetada essenciais

As técnicas de palhetada variam muito, seja em sua aplicação ou dificuldade e elas podem ser bem desafiadoras.

Esta lição foi elaborada para ajudar a melhorar sua confiança com diferentes técnicas de palhetada, que você provavelmente você utilizará em toda a sua vida tocando guitarra.

As técnicas de palhetada variam muito, seja em sua aplicação ou dificuldade e elas podem ser bem desafiadoras.

Esta lição foi elaborada para ajudar a melhorar sua confiança com diferentes técnicas de palhetada, que você provavelmente você utilizará em toda a sua vida tocando guitarra.

Primeiro, certifique-se de utilizar uma palheta bem macia (como uma .88mm), que flexiona facilmente sobre as cordas – uma palheta muito dura irá tornar essas técnicas muito mais difíceis.

O objetivo dessa lição é introduzi-lo as técnicas de palhetada para guitarra, e posteriormente, pretendemos entrar mais em profundidade em todas as técnicas abordadas aqui.

Técnicas de palhetada: Aquecimento com “Economy Picking” ou “Palhetada Econômica”

Esta primeira parte descreve os princípios fundamentais da boa prática de palhetada, seja na guitarra elétrica, eletro-acústica ou no violão.

Aprenda a fazer a palhetada sempre com batidas pra CIMA e para BAIXO. Muitos guitarristas que não se consideram iniciantes ainda não dominam essa técnica, executando a palhetada somente em uma direção (normalmente para baixo).

Uma maneira fácil de começar a alternar a palhetada é usar a palhetada para cima toda vez que a sequência de notas que você tocar ser direcionada para as cordas mais altas e usar a palhetada para baixo quando a sequência mudar para as cordas mais baixas (o E baixo). Isso é conhecido como “economy picking”.

Veja o diagrama baixo e ouça o áudio para entender melhor…

Técnicas de palhetada

Você pode utilizar essa técnica de picking com qualquer acorde ou lick, mas nesse exemplo iremos usar o acorde Am7. Se você olhar no diagrama, irá notar que estamos utilizando a palhetada para baixo à partir da nota tônica e descendo até a corda E mais fina, e então, subindo novamente usando a palhetada para cima.

A regra geral (ou uma regra para facilitar sua vida) é de que a direção da palhetada é determinada por onde a próxima corda a ser tocada na sequência está. Isto está relacionado à todas as outras técnicas de palhetada que iremos explicar à seguir. Tente manter sua ação de tocar bem suave – deixe sua palheta deslizar por sobre as cordas.

Avante e sempre, vamos começar a lidar agora com algumas técnicas de palhetada mais sólidas…

Técnicas de palhetada: Flat Picking ou Palhetada Plana

O flat picking é basicamente o movimento de ferir as cordas da sua guitarra com uma palheta. A outra maneira de fazer isso seria com os dedos.

Semelhante ao aquecimento, iremos nos focar em outro acorde – A7 – mas agora iremos pular algumas cordas. Isso significa que iremos começar ferindo a corda, mas em 3 cordas nós iremos pular para a corda E de cima para começar a executar a palhetada para cima.

Dê uma olhada na tablatura e no áudio abaixo:

Técnicas de palhetada

Como você pode ver, nós ferimos as duas cordas mais baixas do acorde e sincronizamos com o ritmo que estamos tocando – realçado pelas setas vermelhas apontadas para baixo.

Se você contar “1 e 2 e 2 e 1 etc…” seu cérebro irá naturalmente começar a separar essas duas notas usadas como baixo, como no exemplo abaixo:

Isso é como irá soar se tirar tudo e ouvir somente as notas usadas como baixo.

Desde que você mantenha um controle rigoroso rítmico ao identificar algumas notas que possuem uma ênfase em particular, você será capaz de completar o resto do acorde usando as palhetadas para cima/baixo apropriadas.

Observe como eu disse anteriormente, a direção da palhetada é determinada pela posição da próxima corda que você toca na sequência de notas, para fazer com que sua mão percorra as cordas com fluidez.

Técnicas de palhetada: Mesma técnica, mas mudando os trastes

Então, nesta técnica de palhetada iremos começar no acorde A7 como antes, usando o mesmo padrão de palhetada, mas iremos fazer uma progressão movendo a forma do acorde para outras posições no braço da guitarra.

A tablatura abaixo mostra para onde você deve mover o acorde.

Técnicas de palhetada

Inicialmente é um pouco difícil para muitas pessoas manter a precisão nas duas mãos enquanto toca. Porém, meu conselho é que você olhe para sua mão esquerda (a mão que forma os acordes para os destros), pois na sua maioria a mão direita, que está tocando as cordas com a palheta, fica na mesma posição. Você irá perceber que consegue ser preciso naturalmente em sua mão direita.

Não importa se você estiver tocando as notas na ordem incorreta – apenas se certifique de usar a palhetada para cima e para baixo na hora certa – se tiver dúvida, pare e olhe para a tablatura, assim saberá como deve tocar a próxima nota – se for uma corda mais grossa, use palhetada para cima e se for uma corda mais fina, use palhetada para baixo.

Técnicas de palhetada: Acordes flutuantes

Floating é uma técnica dentro do flat picking onde você toca algumas notas que estão sendo pressionadas nos respectivos trastes e outras com a corda aberta. As cordas soltas devem soar por um tempo para dar mais profundidade à sequência sendo tocada.

Com floating, selecione duas ou três notas de baixo, nas cordas mais rápidas, nos trastes 3, 5 e/ou 7 e tome-as para serem usadas como baixo.

Agora, por decorrência dessas notas nesses trastes estarem na tônica de E menor, você pode flutuar para cima e para baixo no braço da guitarra enquanto toca as notas nas cordas mais finas. Essas 3 cordas de cima fazem formam a principal parte do acorde E menor e irão complementar as cordas usadas como baixo, tocadas nesses trastes.

Ouça o áudio acima, você irá entender o que estamos dizendo.

Experimente tocar cordas em diferentes trastes, e toque algumas ou todas as outras cordas por perto. Você poderá descobrir todos os tipos de acordes flutuantes dessa maneira.

Floating nada mais é que tomar 1, 2 ou 3 cordas sendo tocadas em algum traste e combiná-las com cordas abertas. Não se esqueça da regra geral onde você deve tocar com palhetadas para cima e para baixo.

Técnicas de palhetada: Técnica de palhetada “string skipping” ou “pulando cordas”

O string skipping é outra técnica de palhetada que é basicamente auto-explicativa. Em poucas palavras, saltar as cordas significa pular ou saltar as cordas enquanto toca a palhetada para baixo. Isso permite mais criatividade, pulando de tons mais baixos para tons mais altos, concedendo aos acordes mais formas imprevisíveis de tocar.

Técnicas de palhetada

Estamos tocando o acorde G maior e C maior aqui, detalhados na tablatura acima.

Você irá notar que a palhetada segue um padrão alternado, então, na primeira parte você irá tocar a corda usada como baixo/tônica e normalmente seguida pelas cordas E, D e G, mas na próxima parte irei palhetar E, G e B. Esse padrão alternado é muito comum em todas as técnicas de palhetada para guitarra.

A parte de tocar de forma cruzada é óbvia – o salto da corda usada como baixo/tônica para a corda mais acima antes de saltar novamente para baixo, na corda D. As mesmas regras de palhetada cima/baixo se aplicam aqui.

É claro que isso pode ser feito com progressão de acordes também, então, faça um passeio com esse padrão por todo o braço da guitarra. Mudar a posição do acorde enquanto você “pula” as cordas com a palheta irá soar muito bem se feito corretamente…

Técnicas de palhetada: Tocando com mudanças de acordes mais definidas

Mudanças flutuantes de acordes, como vimos anteriormente, de fato não são grandes movimentos no que se refere a mudar a formação dos seus dedos.

O áudio e tablatura à seguir demonstram um padrão de palhetada que percorre por uma mudança mais óbvia de acorde.

Técnicas de palhetada

O acorde Dm7 é alterado para um acorde G modificado (usado bastante em jazz). Entretanto, o mais importante é que você mantenha o padrão de palhetada e o ritmo através das mudanças de acordes. Tente não perder o ritmo na hora de trocar os acordes.

É bom praticar esse método com frequência para adquirir precisão e coordenação, especialmente quando você for executar o string skipping, pois envolve tanto sua mão direita (ou até mais) e sua mão esquerda, fazendo movimentos combinados sem romper o ritmo ou a precisão do processo.

Agora, sem a ajuda das setas!

Tente esse último exercício, sem ter o desenho das setas como referência.

Técnicas de palhetada

Conclusão

Tente ligar todas essas técnicas de palhetada em uma progressão de acordes – flutue os acordes nos primeiros compassos e pule algumas cordas em mudanças de acordes mais definidas no refrão. Misture!

Espero que tenha gostado da lição sobre técnicas de palhetada. Comente!

Veja Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *